RE-vivo Dito e a Deriva Estética

Imagem 02 Cartão-Poema 02

PDF

Cartão-Poema 02

Poderia ser para escolher locais representativos de maneira prévia. Mas, nessas atividades, a previsão foi contrariada por alguns princípios. Não totalmente. A previsão parece estar presente nas estruturas das formulações, ainda não pudemos nos desamarrar totalmente dela. Nos esforçamos para dar a volta, margear, quando dizemos a nós mesmos que reestruturações devem ser frequentes. Isso é uma verdade. Nada do que é, quando realizado, deixamos que já fosse, quando virtualizado. Defender um ponto com arranhões e mordidas para, depois, abandoná-lo, admitindo-se tomado por paixões momentâneas, sem constrangimento, é um dos fortes da Deriva.

O RE-vivo dito foi posto, talvez apenas identificado, na ação, através da deriva estética. A tomada do vivo dito de Alberto Greco é uma tomada de informação. Não existiria mais distinção entre a atitude de pintar uma placa com próprio nome e outra de recortar esse nome da placa. Recortamos a estratégia de Greco, com o nome dele inevitavelmente dentro, como quem passa um pincel encharcado de tinta sobre a tela, consciente de gostar muito daquele pincel e daquela marca de tinta.

Já o que señalamos, dependerá da nossa capacidade de encontrar e querer o que encontramos. Dentro dos pormenores possessivos nada se tornará especial até que lhe outorguemos posse. Aqui, estamos interessados nos ínfimos, deixamos o grandioso para as longas pesquisas de reconhecida categoria, que lidem com questões monumentais. O que recebe a assinatura de Greco, no nosso RE-vivo dito, obedece sempre aos frissons do nosso olhar.

Os modos de señalamiento são variados, assim como os lugares e coisas variam. Mantemos alguns dos modos de Greco para não perder a citação e instantaneamente não abandoná-lo como informação objetiva sob nossa posse, que nos pertence. Podemos, ainda, fazer uso do giz, da assinatura, das placas, mas, nada nos impede de criarmos, com nossos dedos, novos sinais. O Cartão-Poema 02 é um desses sinais. Apresentamos o manifesto de Greco impresso no interior do pequeno molde de papel semi-transparente, tornando em cubo, com o nome “Alberto Greco” impresso para ser visto do lado de fora do pequeno cubo. O Cartão-Poema 02 é deixado tanto como um sinal de que houve presença e señalamiento num local, quanto como indicativo de que a marcação daquele local e a presença que houve nele possui um contínuo. Ter a posse da estratégia de Greco é um dos modos de nos instituirmos detentores da liberdade de derivar.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s